Skip to content

A Sombra do Colosso

28/05/2014

Quem acompanha o blog sabe que posto muito pouco sobre jogos eletrônicos. Talvez a única exceção até agora fora o To the moon, que pra mim merece menção honrosa em qualquer lista de jogos interessantes.

Bom, pra mostrar que minha formação nerd também bebeu em fontes diversas, resolvi escrever sobre um dos meus jogos favoritos, o bem conhecido Shadow of the Colossus, criado por Fumito Ueda e a equipe SCEI’s International Production Studio 1.

O jogo é centrado na história de um garoto imbuído de restaurar a vida de uma garota que foi sacrificada. O corpo dela jaz em um exótico templo, onde ídolos gigantes enfeitam as paredes altas. A única coisa que o garoto (herói) sabe, é que ele precisa destruir o avatar destes ídolos: os colossos, espalhados pela vasta terra à sua volta. Com uma espada mágica e um arco capaz de acertar uma lagartixa, o herói e seu leal cavalo Agro (Adolph? Waru? Haha) vão percorrer muitas, muitas, muitas e muitas léguas para encontrar estas criaturas e, lentamente, alcançar a ressurreição da garota.

Mono_and_Wander

O jogo possui uma ambientação incrível, com muitos detalhes pensados para que sua imersão na jornada seja total. E vai por mim, ela é! A jornada solitária é sentida na pele, não há outros personagens que você possa conversar, transmitindo de forma muito interessante a dureza da tarefa que você, o herói, está tentando alcançar. A própria música do jogo contribui para isso: na maior parte do tempo você só ouve o seu próprio barulho e do ambiente à sua volta– os cascos do cavalo, o ar saindo de seus pulmões quando o movimento realizado é desgastante, os pássaros batendo asas… a música só é tocada nos momentos-chave do jogo, nas CGs e nos embates contra os colossos, claro.

Aliás, que embates!
Cada colosso possui pontos fracos espalhados pelo seu corpo, e é sua tarefa descobri-los e alcança-los com sua espada. No começo os pontos são meio óbvios, mas com o tempo o desafio é cada vez mais difícil, exigindo muito, MUITO de você. Cada colosso derrotado suscita um gostinho de vitória, e também um estranhamento, com um estranho fenômeno que ocorre cada vez em que um deles é morto…

Bom, sem spoilers aqui, é claro, mas enfim, eu recomendo muito esse jogo!

Mas… e o RPG?

Não consigo pensar num exemplo melhor de inspiração para um RPG aventura solo: um mestre e um jogador. Com planejamento por parte do Narrador e vontade por parte do jogador, tenho certeza que muita coisa boa pode partir disso aí. Alguns classificam o jogo Shadow of the Colossus como um puzzle game, e quem curte esse tipo de desafio pode ter um prato cheio ao usar a roupagem elaborada por Fumito Ueda.

Mas nesse ponto você pode se perguntar: “Será que ninguém teve a ideia de transformar esse jogo tão intessante, tão premiado e tão conhecido num RPG?”

Olha só que coincidência, eu conheço um gamedesigner brasileiro que teve!

Seu “nome de guerra” é Ciborgue, e alguns dizem que ele se esconde no litoral catarinense, embrenhado entre livros de RPG, caveiras-telefone e ossos de peixe…

Mas aí está a internet pra nos aproximar desses seres!

O Ciborgue Jairo criou um RPG chamado “Caçada ao Colosso”, que, baseado no Shadow, propõe mecânicas muito interessantes aos jogadores. Sério, as mecânicas são tão malucas que eu pedi pro Jairo colocar um exemplo de jogo pra clarificar como funciona o negócio. Vamos ver se ele me atende!

Mas o mais legal do Caçada ao Colosso é que ele transforma muitos elementos do enredo do jogo de videogame em ferramentas do Anfitrião – o Mestre, sonoplasta e “Sr. Colosso” do RPG. Da mesma forma que a música é importante no Shadow, ela o é no RPG, e é tarefa do Anfitrião montar uma trilha sonora para cada sessão.

Olha que massa!

O jogo preza pela criação compartilhada, utilizando mecanismos como “O Atlas”, que transforma cada jogador em autor dos elementos do cenário. Nem preciso falar que eu, geógrafo nerd pirei nisso!

Recomendo MUITO a leitura do jogo, que pode ser acessado no projeto do Ciborgue Jairo no site Patreon: Jogos à la Carte

Por último, peço que vocês leiam com carinho essa página e entendam a audácia do projeto. Afinal, foi este que vos escreve que desafiou o gamedesigner, resultando neste novo RPG Caçada ao Colosso. Tenho certeza que todo mundo que contribuir com o Ciborgue vai ter muita surpresa com a qualidade dos jogos produzidos, como eu mesmo estou tendo.

Grande abraço, e roll the bones!

shadow_colossus

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. m4lk1e permalink
    29/05/2014 13:06

    Rapaz… eu nem sei o que dizer.

    Mas vamos começar pelo óbvio: assim que eu elaborar um playtest do Caçada (algo que, com certeza, pretendo fazer em breve), irei colocar os exemplos no livro. Inclusive, quem quiser contribuir com isto pode baixar o livro na página do Patreon (o pdf é gratuito, mas Benfeitores podem ter direito a uma cópia física dele).

    E muito obrigado pelo apoio, meu amigo! :D

Trackbacks

  1. “Caçada aos Anjos”: Um Hack Para Caçada Ao Colosso |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: