Skip to content

O Terceiro Round Na Criação Nacional de Jogos – Orquestra RPG!

30/10/2013

Já disse isso em outros posts, e vou repetir aqui: acho que nunca tivemos um ano tão produtivo quanto este, em se tratando de produção de jogos. o FVM da Secular Games quebrou recorde na participação, nos presenteando com 45 jogos prontos. Em seguida, a primeira edição do Game Chef Brasil nos trouxe outros 15 jogos (inclusive, o campeão do mundo Pulse). E o RPGénesis deste ano nos trouxe jogos originais e releituras para jogos já conhecidos.

No entanto, eu e o companheiro Guilherme Korn (autor de jogos interessantíssimos, como o ESC, Efeito Dominó e Broadway) e um dos cabeças do blog Vôo da Fênix achamos pouco. De tão empolgados com essa onda de construção criativa, decidimos dar mais um passo neste sentido – para ver se cumprimos a meta de 100 jogos produzidos em um ano.

Foi daí que surgiu a idéia do Orquestra RPG.

Image

O Quê Diabos é Isso?

Basicamente, o Orquestra RPG é um evento de criação de jogos orquestrado por Guilherme Korn e Jairo Borges Filho (este que vos digita), com previsão para acontecer entre os dias 3 a 23 de Novembro de 2013. Nele, criadores de jogos de todo o Brasil poderão se unir para criar novos projetos, ou editar jogos já conhecidos.

E Seguindo a Canção…

Para delimitar o desafio, incluímos alguns temas que serão adotados na hora de você, caro participante, formular seu projeto. Como o nome do concurso sugere, eles serão músicas – uma playlist de canções escolhidas a dedo para inspirar-lhes das maneiras mais improváveis.

 

As Inscrições

As inscrições serão abertas com a revelação da playlist, à meia-noite do dia 03 de novembro. Assim que as músicas forem liberadas, o participante deve escolher sua modalidade, e a música que será o seu tema.

 

Modalidade? Como Assim?

Existem 2 modalidades de participantes no Orquestra, que serão trabalhadas durante o desenrolar do concurso:

Image

Compositor – aqui o desafio é criar os jogos, a partir das idéias concedidas pela música escolhida. Para fins de sugestão, o competidor pode contextualizar o jogo pela letra e fundamentar sua mecânica pelo ritmo, por exemplo. Com base nisso, o compositor deve ir onde sua imaginação mandar, quase sem limitações – a não ser, claro, as seguintes:

  1. o prazo de dez dias  de criação (partindo do dia 03 até o dia 13);
  2. o limite máximo de 5000 palavras por projeto;
  3. o fato de que o jogo deve ser original e inédito.

Lembramos também que o uso de sistemas Open Game License e Creative Commons serão aceitos.

Image

DJ – remixar um projeto é sua função. Aqui, baseado na música (na sua letra, ou no seu ritmo, ou em ambos), você vai editar um jogo que já existe, como você quiser. O importante é pegar um jogo e torná-lo algo ainda maior, respeitando as seguintes condições:

  1. o prazo de dez dias  de criação (partindo do dia 03 até o dia 13);
  2. o limite máximo de 5000 palavras por projeto.

A Intervenção dos Produtores

Ambas as modalidades serão amparadas e guiadas por um outro tipo de participante: O Produtor. Sua função é composta em três tarefas dentro do concurso:

  1. fornecer uma música para o playlist;
  2. atuar como um tutor para os participantes, esclarecendo dúvidas em relação à música que compartilham entre si;
  3. participar como jurado dos jogos finalistas, durante a Segunda Fase do concurso.

Para preencher o cast de Produtores, contamos com o apoio destas notórias figuras do RPG nacional:

  • Antônio Sá, o “Mr. Pop”: respeitado mentor da Redbox editora, que trouxe muitos jogos bacanas para nós desde a sua fundação, como o aclamado Old Dragon, Shotgun Diaries, Blood & Honor e Dust Devils;

  • Daniel de Sant’anna, o “DM”: responsável pelo blog D+1 e autor do esperado Beat’Em Up!, nosso amigo DM possui experiência sobre a criação de jogos independentes como Game Designer profissional, já que ele também coordena cursos regulares do supracitado ofício;

  • Guilherme Morais, o “GMorais”: responsável pela editora Retropunk, uma das primeiras editoras Indies dos país (e que, segundo se consta, possui pactos com Cthulhu…);

  • Pedro Ziviani, o “Pedro”: uma das cabeças por trás da Terra Incógnita, editora que está trazendo o mítico Call of Cthulhu para o país (o que indica que ele também possui um pacto com o supracitado Antigo), e vencedor do Ennie de Prata pelo seu livro, Mythic Iceland;

  • Thiago Edwardo, o “Thiago”: líder da Unza, que nos trouxe bons suplementos medievais (como Caos em Belmont e Goblins em Campanha) e o jogaço UED – além dos outros que estão por vir, como o já citado Beat’Em Up!;

  • Rafael Rocha, o “Rocha”: o camarada “good vibe” da Secular Games, que já nos presenteou com jogos doidões, como Violentina, Busca Final e Dungeon World.

Em ambas as modalidades, uma regra permanece fixa: para construir o seu projeto, o participante deverá utilizar uma ferramenta virtual de texto (como Google Docs, por exemplo) – pois isto facilitará o compartilhamento das idéias, e quaisquer discussões coletivas acerca das mesmas.

As Fases do Concurso

O Orquestra RPG será regido em três etapas – cada uma composta por um procedimento particular de avaliação. 

  1. Primeira Fase – Avaliação dos Participantes: Nesta etapa, os participantes deverão votar em um jogo (não pode ser de sua autoria, lógico) que, em sua opinião, deva seguir para a etapa seguinte. Os jogos mais votados (dentre os inscritos no concurso) irão para a segunda etapa. Esta Fase corresponde ao período de construção dos projetos (dez dias, partindo do dia 03) e mais um dia para o fechamento e definição dos classificados.
  2. Segunda Fase – Mesas Redondas: Através de sessões via Google Hangout, os organizadores se reunirão com alguns dos Produtores para qualificar os projetos aprovados na Primeira Fase. Serão duas sessões ao todo (um organizador e três Produtores) para discutir, em torno de uma hora, e elencar um finalista para cada uma das duas categorias (Compositores e DJs), a partir de uma fração dos concorrentes – isso será melhor definido a partir do número de projetos em submissão.
  3. Etapa Final – Voto Popular: Nesta etapa, os jogos eleitos pelos Produtores irão a voto popular, por um período de três a cinco dias (passado o prazo do concurso – ou seja, após o dia 23). O jogo mais votado será o vencedor, tendo acesso aos prêmios.

 

Prêmios? Como assim “Prêmios”?

É isso mesmo, caro leitor: ao final de tudo, ocorrerá uma premiação, simbólica e composta por duas partes, que visam enaltecer o projeto vencedor em cada uma das categorias.

A primeira é um serviço completo em design gráfico: barba, cabelo e bigode para os projetos vencedores (ou melhor, revisão, diagramação e arte) sob autoria do seu idealizador, Guilherme Korn.

A segunda é um kit de props fornecido pelo site MáConduta: uma camiseta, uma caneca e cinco bottons com a logo do jogo vencedor – algo bastante memorável, e também útil para divulgar o projeto futuramente!

Bastante convidativos, não é mesmo? Já pensou, você recebendo um jogo seu impecavelmente pronto, com itens de divulgação inclusos? É a sua chance de obtê-los!

Meios de Interação

Uma das propostas do concurso é promover a coletividade, a partir das discussões envolvendo os projetos desenvolvidos durante o seu prazo. Por esta razão, uma das regras diz respeito ao uso de ferramentas virtuais de texto, pois cada “visitante” poderá deixar suas impressões acerca do jogo.

À medida que os projetos surgem, eles também serão apresentados no Facebook, em uma fanpage própria para o concurso. Cada tópico corresponderá a um projeto especificamente, com o link de acesso e menção ao seu Compositor/DJ (e, claro, o seu devido espaço para discussões). A hashtag #Orquestrarpg também se fará presente, em fóruns e observações relevantes fora da fanpage.

Além do Facebook, este querido blog fará uma cobertura de cada etapa do concurso, a partir de posts atualizados e, novamente, com o espaço aberto a críticas, resolução de dúvidas e sugestões para o seu andamento. Então, por favor, não se façam de rogados quando precisarem fazer uso de palavras sobre o concurso!

Cronograma

Curtiu a idéia de criar seu jogo, e o desafio de fazê-lo com música? Muito bom, ficamos bem satisfeitos com isso. Sói fica esperto para não se perder nesta disputa:

  1. Dia 03/11: à meia-noite deste dia, a playlist será revelada, dando início à criação dos projetos e/ou remixes;
  2. Dia 13/11: último dia para entrega dos projetos prontos, perante a sua inscrição;
  3. Dia 14/11: dia definitivo para definição dos projetos semifinalistas nas duas categorias (Compositor e DJ), e princípio da Segunda Fase;
  4. Entre os dias 15/11 e 22/11: serão marcadas as duas sessões de Mesa Redonda. Em função da disponibilidade dos Produtores, não teremos datas definidas por ora – o seu agendamento será feito pelos meios de interação com, no mínimo, um dia de antecedência;
  5. Dia 23/11: definição dos finalistas em cada categoria (Compositor e DJ) e o princípio da Etapa Final;
  6. Dia 28/11: definição dos vencedores, e contato com os mesmos sobre a entrega das premiações.

Enfim, preparem-se, caros amigos: afinem seus instrumentos, ajustem suas Pick-Ups, e preparem-se para um novo momento de criação de jogos.

Rumo aos 100!

Que Luna os ilumine, e até a próxima!

 

Anúncios
12 Comentários leave one →
  1. Tecnowancertecnowancer permalink
    30/10/2013 14:12

    achei massa, so nao encontrei maneiras de me inscrever

    • m4lk1e permalink
      30/10/2013 21:33

      Há um link no cronograma. Mas te aconselho à inscrição quando a playlist for liberada.

  2. 30/10/2013 15:59

    Mais um concurso em uma data em que não posso participar… :P

  3. nielison permalink
    31/10/2013 15:15

    eu sei que é uma pergunta meio óbvia, mas só pra deixar claro: o jogo para o projeto tem que ser um RPG? não pode ser um board game, por exemplo?

    • m4lk1e permalink
      31/10/2013 20:29

      Isso foi levantado durante a fundação do Orquestra, e preferimos começar somente no nicho dos RPGs, pois avaliar um boardgame é uma tarefa um pouco mais complexa (pelo menos, nesta primeira edição). Mas nada impede que seu projeto seja narrativo e, ao mesmo tempo, utilize alguns recursos de boardgame (como marcadores e tabuleiro, por exemplo).

  4. 10/11/2013 11:23

    Putz, um concurso de criação de jogos desde o dia 3 e eu fui saber agora dia 10, vou ter que fazer em tempo record! Me respondam algumas coisas obvias por favor e não fiquem com raiva, a primeira é a seguinte: Vamos basear o jogo em uma música mesmo ou a música foi só uma forma de nomear o tema do jogo? Li que tenho que escolher um jogo para ir para a segunda fase do concurso, os jogos publicados antes não terão mais chance de serem escolhidos? O projeto do jogo não tem que ser editado e talz né, basta por o texto no google drive por exemplo?
    Challenge accepted!

    • m4lk1e permalink
      10/11/2013 19:58

      E não foi por falta de aviso, hein? :)

      Bem… vamos às suas dúvidas:

      1) a música é um tema para o jogo. Se você quiser, pode explorá-la integralmente no seu projeto, ou usar uma parte dela (letra, ritmo, melodia, timbre, etc). O importante é que a música faça parte do seu jogo;

      2) Os jogos mais votados pelos participantes irão para a Segunda Etapa. Então, basta ler cada um deles com cautela e escolher o seu (dar o seu voto pelo projeto mais interessante, na sua opinião);

      3) Não precisa editá-lo, não, pois isso é parte da premiação. Apenas o formule no Google Docs, e coloque-o na fanpage para que os demais vejam seu trabalho. :)

  5. nilpolyp permalink
    12/11/2013 01:58

    Uma coisa que me pareceu não ter sentido: se são os próprios participantes que vão escolher quais jogos irão pra uma segunda etapa, por que eles escolheriam os melhores projetos, já que estes poderão ser seus concorrentes?!

    • m4lk1e permalink
      12/11/2013 12:56

      Cada um dos participantes dará o voto no projeto que mais lhe interessou, nilpolyp – sem saber que, talvez, seu próprio projeto tenha interessado aos demais. É uma opinião pessoal, e o jogo que reunir mais opiniões vai pra Segunda Etapa.

      • nilpolyp permalink
        12/11/2013 23:34

        entendo. e acho legal a ideia, considerando que todos os participantes sejam honestos e tenham caráter e realmente votem no que acharem mais interessante. mas, e se não for o caso? teríamos numa próxima etapa os trabalhos mais medíocres simplesmente por causa da desonestidade participantes.

Trackbacks

  1. O Retorno da Orquestra |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: