Skip to content

O Livro do Mago da Ilha

21/10/2013

Como Narrador (e, às vezes, explorador) dos mundos de fantasia, sempre gostei de utilizar a Magia como “a moldura” para as histórias que conduzi: seja pela sua falta, seja pelo seu excesso, gostava de torná-la um pouco mais que um mero acessório para jogadores – algo bem comum na maioria dos livros nos quais me aventurei.

Isso acabava me guiando a discussões e desentendimentos, na maior parte do tempo. Pois a minha visão se chocava com a instrumentalização da magia. Para quem eu narrei, a idéia de um procedimento comum, seguro e testado várias vezes causava conforto. Me deparava com Magos que não suportavam a falibilidade (ou as consequências) de um feito mágico – ou, sequer, tentar algo além do convencional com os poderes de que tinha em mãos (“por que vou tentar algo novo quando minha bola de fogo pode devorar a todos”?).

Me sentia só neste foco, e até desmotivado a criar histórias regidas pela magia, até me deparar com um livro bastante singular: o Livro do Mago da Ilha.

Porque o Mago não é apenas aquele que rege as forças do mundo...

Porque o Mago não é apenas aquele que rege as forças do mundo…

O Mundo, a Magia… e o Sábio

Antes de se falar em magia, uma palavra precisa ser levada em consideração: PARADIGMA. É preciso entender o seu mundo, para entender as forças que o regem, ou que o permeiam. Saber que a magia é uma força considerável não é o bastante, pois ainda é necessário definir como os seres vivos podem se relacionar com ela.

O amigo João Pedro Torres fundamenta-se no grimório do sábio Nur-Al-Ratkin para definir um paradigma coeso e próximo da realidade. Nas suas palavras, a magia nos cerca, se fazendo presente em todo momento – alimentando as chamas, conduzindo o ventos, compondo a nossa carne e provocando nossa circulação sanguínea, por exemplo. Toda manifestação real, seja ela física ou abstrata, parte do Qi – a energia primordial em seu estado mais puro. Tornar-se um Mago é, portanto, a arte de conciliar o Qi com o desejo profundo e concentrado para transformar o mundo.

Claro que isso não é nada fácil…

Princesa Esmeralda, de Rayearth: o poder (e a responsabilidade) de governar a realidade por sua vontade.

Princesa Esmeralda, de Rayearth: o poder (e a responsabilidade) de governar a realidade por sua vontade.

O Preço do Poder

Ainda nas palavras de Nur-Al-Ratkin, conhecer as Técnicas primordiais (Sentir, Controlar, Alterar, Criar e Destruir) e as Disciplinas que regem o mundo (Água, Ar, Espaço, Fogo, Qi, Mente, Morte, Tempo, Terra e Vida) não é o bastante. O conhecimento mágico provém, sim, do estudo cuidadoso e intensa concentração, mas há algo maior a se compreender: o seu Preço.

Trata-se de uma troca equivalente: para ter algo, você precisa dar a sua parte. Para comungar com o Qi, e concretizar o desejo, uma parte da sua vontade é requerida – e isso se traduz no ganho de insanidade. Da mesma forma, o manejo inseguro /ou ineficaz da verdade pode causar desequilíbrios erráticos e aleatórios, que podem afetar o Mago, ou comprometer tudo ao seu redor.

Contrabalançar as forças é um bom caminho para amenizar o preço por uma proeza.

Contrabalançar as forças é um bom caminho para amenizar o preço por uma proeza.

Além dos Paradigmas

Pelo pouco que pôde ser visto, já se percebe que este livro serve para adaptar em qualquer jogo e/ou sessão envolvendo magia. Pois, tão logo oferece uma possibilidade mais ampla de utilizá-la, o autor a explora por outros meios – por rituais, fetiches, encantamentos e consequências possíveis, por exemplo.

Como se não bastasse tudo isso, ele ainda vem acompanhado por um glossário expresso do FUDGE (sistema de condução narrativa, que originou o FATE) – que não apenas auxilia na adaptação dos ensinamentos de Nur-Al-Ratkin para o seu jogo, como também permite uma narrativa simples apenas com este livro!

Com isto, eu concluo este artigo com o link de acesso para este grande livro, indispensável para quem deseja temperar suas aventuras com a magia, ou para jogadores que desejem renovar seus paradigmas sobre o que permeia o mundo e a existência.

Pois lhe garanto que a simples leitura deste irá transformá-lo, como se o seu Qi fosse manipulado a cada página… :)

Eu já garanti o meu... e você?

Eu já garanti o meu… e você?

Que Luna os ilumine, e até a próxima!

Anúncios
One Comment leave one →
  1. 22/10/2013 09:51

    Nur-Al Ratkin ficaria orgulhoso de você, Jairo, compreendestes bem os caminhos da Arte!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: