Skip to content

Resumo da Ópera de 2013 – O “Efeito Dominó” do RPG Nacional

23/05/2013
by

Bem, bem, bem… 2013 está sendo um ano realmente foda (pelo menos, na minha opinião) para o RPG nacional. E, nestas parcas linhas, espero realmente descrever esse redemoinho da maneira como eu o vejo…

A começar pelo movimento que deu princípio a tudo isso…

O FVM 2013!

Eu já comentei aqui como foi participar deste concurso fantástico, e não vou ficar me repetindo neste sentido. Em contrapartida, vou contar o final desta história. O Sombras do Brasil (projeto este que surgiu de brincadeira e que acabou me conquistando) foi para a segunda fase – onde 22 da impressionante marca de 45 jogos passaram – e acabei agraciado com um excelente feedback sobre o projeto, algo que me motivou muito mais a trabalhar nele. Vocês, caros amigos, podem conferir uma fração disso no seguinte vídeo, arquitetado pelo juiz do projeto, o Ludonauta João Mariano.

Só por ter participado dessa vibe, já me sentia muito bem – mas a vida é uma caixinha de surpresas, e acabei surpreendido pelo orgulho materno, que me conduziu até o…

LabJogos 2013!

Antes do FVM terminar, entrava nos planos um evento ousado – o primeiro no país a discutir o design de jogos analógicos – naquela cidade que, mais tarde, passaria a ser reconhecida como a “Capital dos Jogos”.

Aliás, interessante ressaltar que BH é o centro das cenas alternativas: nos anos 80, a cena Metal brasileira nascia lá, e agora nasce a cena dos jogos doidões…

Um lugar longínquo para mim (claro que isso é questão de perspectiva) que não teria como visitar… até a gravação do Ludonautas que vocês viram acima!

Acabei ganhando a viagem, e o bom companheiro João Pedro (Mago, mas não Manco) me acolheu na sua casa. Eu estava em BH, passeando, caçando cartas de tarot pelo labiríntico Mercado Central e filando PF por lá mesmo!

Image

Da esuqerda para a direita: Du Caetano, Jão Pedro, Eu, a “lenda” John Bogéa, Maninho Gomes (um conterrâneo, que beleza!) e o “Boss do Blog”, Chicão!

Foi muito legal rever os amigos, que moravam lá ou não, mas o melhor estava apenas por vir. Na manhã do primeiro dia, o Aventurando-se foi em peso para as mesas de playtest: Jão preparou uma versão invocada do Massa Crítica, forte finalista do FVM; Chicão levou consigo o repaginado Quintessência; e eu, que não ia conseguir jogar nenhum dos dois (por pura indecisão!), acabei levando aquele que seria o filho mais próximo da conclusão: POSTMORTEM. Fiquei extasiado com o resultado, e seu eventual feedback coordenado pelos participantes (Thiago Edwardo e Kamino, valeu pela força!) e, depois do jogo, me deixei levar pela torrente de palestras, talks e debates que se desenrolaram durante o dia. O dia só terminou mesmo por volta das duas da madrugada, depois de uma das já conhecidas butecagens dessa turma de Rolistas. No segundo dia, fui bancar o jogador nas mesas pela manhã, e acabei me apaixonando pelo Monsterhearts – um dos jogos guiados pela engine criada por Vincent Baker, e utilizada nos jogos Apocalypse World e Dungeon World.

Image

Início da sessão de Monsterhearts: Encho (à esquerda) como GM, eu e Cochise César complementando nossos personagens.

Depois do almoço, mais uma dose porradeira de discussão sobre jogos e sua criação – com um destaque especial para o Debate do FVM (a única coisa que ganhei do concurso).

Enfim, foram dias insanos: conheci muita gente legal da cena (que já apronta no Facebook), visitei uma cidade nova e passei meus quatro dias de passeio imerso nessa “good vibe” chamada RPG.

Tá, mas…e depois disso?

Bem… na verdade, já quase se passou um mês dessa “festaria” toda, e muita coisa já rolou. Graças ao FVM, fui convidado a fazer parte do Estúdio House Rules (do parceiro Alan “Cachorros Samurais” Silva) e, no momento, estou trabalhando no POSTMORTEM junto com ele. Nesse meio tempo, também rolou uma idéia muito bacana em parceria com o amigo Diego “A Fita” Astaurete: um Jogo de Poesia e Artes Marciais, chamado Jueju. Da mesma forma, estou retomando o Sombras e um projeto mais antigo, que vocês conhecerão muito em breve…

Só não sei o que o futuro me reserva, daqui pra frente. Infelizmente, não poderei estar presente no WRPGFest deste ano, e não estou participando do Game Chef deste ano (graças à carga de projetos em que me encontro).

Mas há muito pela frente, ainda: RPGénesis, quem sabe o Moonfest ou algum outro evento igualmente interessante… Isso não importa tanto. Desde que continue envolvido neste mundo mágico e vasto, que cabe em uma sigla simples.

RPG.

Que Luna os ilumine, e até a próxima!

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. 23/05/2013 18:13

    Gostei! (especialmente de não ser mais manco! rsrsrsr)

  2. Matheus Jack permalink
    23/05/2013 20:09

    Ver sua visão a cada momento desse trajetório é um aprendizado e tanto pra todos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: