Skip to content

Apresentando… POSTMORTEM

03/02/2013

Bem… Em dezembro passado, eu havia discorrido brevemente sobre um projeto meu, decorrente do meu contato cada vez mais íntimo com a visão “Narrativista” do RPG (é um termo redundante, eu sei – mas engloba os jogos que priorizam o processo narrativo e regras que concedam maior liberdade neste ponto).

Bem, o projeto cresceu com os (poucos) testes que realizei até o momento, e foi compartilhado no Garagem RPG para que fosse ainda mais aprimorado.

Para quem não teve a chance de lê-lo (ou teve e acabou não lendo por qualquer outro motivo), eis que o apresento formalmente neste texto.

Image

Jornada Além da Vida

Imagine-se, caro leitor, como a vítima de um infortúnio mortal, um evento qualquer e abrupto que interrompa sua vida (como um assassinato a sangue frio, por exemplo). Perceba-se como falecido, mas ainda presente no mundo, como um mero espectador de tudo que aconteceu e/ou acontece depois da sua morte. À sua frente, uma pergunta que você precisa responder, pelo seu destino final: “Qual motivo me levou à morte?”

Esta é a premissa básica de POSTMORTEM: a cada sessão, uma história se inicia: um espírito inquieto busca o desfecho real de sua vida, a partir do que ficou para trás no “mundo dos vivos”. Entre lembranças e fatos que testemunha, o Espírito reunirá poderes para interagir brevemente, na busca por indícios que completem este intrincado quebra-cabeças. Apenas o poder de suas escolhas poderá definir se a paz eterna o espera, ou o tormento da falha o manterá preso a seu cadáver…

Image

Uma Experiência Diferente

A proposta de POSTMORTEM é a construção de uma história em conjunto. Logo, como todo (bom) RPG Indie, sua mecânica favorece tal propósito por três razões.

A primeira delas está nos recursos que direcionam o jogo. Uma folha em branco torna-se o Epitáfio (descrição de tudo que acontece com o Espírito durante a história, como um “diário pessoal”), uma moeda torna-se o Dracma (representação do Espírito no jogo: quem a tiver agirá como o Espírito – da mesma forma que uma planilha dá acesso ao personagem em outros jogos) e as cartas de um baralho concedem a Carga Emocional de uma cena (se forem numeradas) ou trazem à mesma um Antagonista (alguém relevante para o Espírito, em vida). Elementos de fácil acesso e compreensão que garantem o propósito do jogo.

Em segundo lugar, a liberdade plena dos jogadores em termos de atuação e participação. O jogo per se é atemporal e livre para qualquer tipo de história (de Poltergeist e Atividade Paranormal até Ghost e Os Fantasmas Se Divertem, por exemplo); isso é definido somente pela criatividade do grupo, e o mesmo vale para outros aspectos do jogo – como a construção do Epitáfio, que pode combinar com a época ou direcionamento da trama.

Por fim, o próprio modo de ação dentro do jogo. O único papel definido é o do Espírito, já representado pelo Dracma; os demais tornam-se “narradores”, construindo as Cenas ou adicionando novos elementos na história a partir dos que revelam as cartas. Ao Finado (portador do Dracma), cabe a decisão de optar por uma dentre as Cenas, e dar o seu desfecho narrativo. A partir desse ciclo, a história emerge junto com a diversão dos participantes – e, como em todo jogo, um pouco de estratégia é necessário para, no término da sessão, garantir o direito de dar um final a essa busca.

Image

Seja Você Também Parte Disso!

Agora que o projeto está devidamente apresentado, hora de chegar ao real propósito deste texto.

Uma vez que o projeto ainda está no playtest, quero pedir a sua contribuição nestes: leia o livro, jogue-o com seu grupo e opine: POSTMORTEM foi criado por um fã do hobby, e nada mais justo que permitir a participação de outros fãs nesta construção.

Para reforçar o playtest, darei início a sessões online de POSTMORTEM via Google Hangout, à razão de uma sessão por semana. Pretendo começar nesta próxima quarta-feira (06/02), às 20:30 horas. Interessados em participar podem entrar em contato comentando por aqui, ou me contatando via Facebook.

Desde já, conto com a sua participação, caro leitor!

Que Luna os ilumine, e até a próxima!

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. 04/02/2013 11:41

    Po Jairo, sacanagem!
    20:30 no Brasil é 00:30 aqui na Finlândia, e eu tenho aula quinta de manhã!

    Mantenha o post atualizado com os próximos playtests, quero participar de pelo menos um!
    Postmortem tem tudo pra ser o jogo de 2013 :)

  2. m4lk1e permalink
    04/02/2013 12:18

    Nada posso fazer quanto ao problema de fusos, caro amigo… O que é uma pena. ^^

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: