Skip to content

As canções no RPG

19/12/2012

Far over the misty mountains cold… 

Quem não ficou mega animado quando ouviu essa música no trailer ou mesmo no filme?

Eu quase explodi de emoção quando a ouvi alguns meses atrás. E confesso: eu a cantei junto com os anões no cinema!

Howard Shore fez um trabalho magistral ao adaptar essa música. Mas, mesmo no livro, onde podemos apenas ler a letra, ela tem um aspecto muito importante: ela apresenta todo o drama dos anões.

Eu adoro essa parte do livro, onde o todo-atrapalhado-Bolseiro luta consigo mesmo para encarar aquelas criaturas das lendas na sua toca. Adoro a represália que o Hobbit ouve quando ele indaga sobre os planos dos anões:

– Por minhas barbas! – disse Thorin – Você não viu o mapa? E não ouviu nossa música? E não estamos falando de tudo isso há horas?

Para o herdeiro de Dúrin não haveria mais coisas a conversar. A música já contém tudo o que o candidato a ladrão precisa saber!

Incrível!

Afinal, música também é um tipo de linguagem, assim como a escrita, a pintura e a cartografia.

Agora, o que quero conversar com vocês é: quem aqui já usou esse tipo de linguagem nos seus RPGs?

Vocês já pararam pra pensar na gama de possibilidades que temos? Será que nenhum menestrel comporia sobre nossos heróis?

E peraí, e o bardo do grupo? Ele nunca compôs nada sobre suas aventuras?

Imagina que irado ter uma canção sobre nossos personagens!

Pra elucidar melhor o potencial da música, vou colocar um trecho da canção dos anões interpretada pelo Neil Finn (e tocada nos créditos dO Hobbit) que simplesmente me deixou de boca aberta:

 “Fiery mountain beneath the moon
The words unspoken, we’ll be there soon
For home a song that echoes on
And all who find us will know the tune

Some folk we never forget
Some kind we never forgive
Haven’t seen the back of us yet
We’ll fight as long as we live”

PUTA QUE O PARIU!!!!!!!!

É isso!!!! Todo a história da linhagem de Thrór está nessa música!

“Montanha ardente  sob a lua,
as palavras não ditas, logo chegarão aí.
Para casa uma canção que ecoa,
e todos aqueles que nos encontrarem conhecerão a melodia

Alguns nós nunca esquecemos
Outros nós nunca perdoaremos
Não viram nosso fim ainda
Nós lutaremos enquanto vivermos”*

Magnífico, simplesmente magnífico!

Recentemente tive dois exemplos de uso de canções nas aventuras que joguei, e pra mim ambas funcionaram de um jeito muito bacana:

Enya – May it be” na última cena (17) da Campanha de Moria 

E o “Réquiem de Toph” no 1º apêndice dessa mesma campanha.

O ambiente de jogo muda totalmente quando as músicas entram em ação. Canções mexem com nossas emoções, e se RPG é um jogo de contar histórias (e outras coisas mais), a música só tem com o que contribuir para nós.

Quebrem as barreiras, arrisquem e divirtam-se!

Despertem os artistas dentro de vocês!

Abraços!

_______________________

*Não traduzi ao “pé-da-letra”, mas sim da forma que achei melhor.

Anúncios
4 Comentários leave one →
  1. m4lk1e permalink
    19/12/2012 15:35

    Genial! Isso me lembrou muito aquele jogo que me mostraste outro dia, o “To The Moon”.
    Uma história tocante e reforçada pela trilha sonora.

    Aliás, acabaste de me conceder uma boa idéia… ^^

  2. Fernando L Reis permalink
    21/12/2012 12:26

    Sensacional! Essa canção é, sem dúvidas, uma obra prima!!!! Tenho que confessar que também cantei junto durante o filme (que no meu caso, infelizmente era dublado).

    Uma das primeiras coisas que aprendi ao ser iniciado em minha fraternidade é que a música tem o poder de compor a egrégora e cataliza a execução dos ritos, além de ser uma ótima ferramenta para o exercício da concentração.

    E aqui vai uma dica pra que gosta dos cenários medievais:
    Procurem ouvir Era e Enya!

    Algumas músicas de que gosto muito:
    Don’t go alway – Era
    Divano – Era
    Cathar Rhytm – Era
    Now we are free – Enya
    May it be – Enya
    Voxifera – Era
    Enar volare mezzo – Era
    Sombre day – Era
    Omen sore – Era
    Sentence – Era
    Infanati – Era
    Madona – Era
    Hymne – Era
    Misere mani – Era

    Desculpem o comentário longo! hahaha
    Abraços!

  3. 21/12/2012 15:39

    Caramba Jairo, preciso fazer o post do “To the moon”!
    Obrigado por me lembrar. hehe

    Aloha Fernando!
    Você assistiu dublado e eu assisti legendado em finlandês e sueco. Acho que você se deu melhor no final! haha

    Era é muito bacana!
    Enya dispensa comentários.

    Gostei das suas dicas, acho que já tá passando da hora de eu fazer um post sobre RPG e trilha sonora…

  4. gerbur12 permalink
    06/01/2013 00:58

    Penso que canções tem tudo a ver com tudo no mundo. Com RPG então, nem se fala.

    Ora, se RPG é um jogo de contar histórias (e outras coisas), como foi que as primeiras histórias da humanidade foram contadas? Antes que a maioria soubesse ler e escrever? Através das músicas! Eram os trovadores que contavam ao povo como o seu exército estava indo na guerra, ou que faziam as donzelas chorarem ao cantarem sobre amores proibidos e suas tragédias. Logo, RPG e canções tem tudo a ver.

    A música mexe com as emoções, a melodia, as palavras cantadas, tudo isso muda o clima do jogo e você se conecta com a história de uma maneira mais profunda, pois quando canções inundam a sala, não é mais apenas o seu personagem que está vivenciando o momento, você (jogador) também está.

    Outra coisa: Jogar RPG com uma trilha sonora de fundo é outra experiência do que simplesmente jogar RPG. Simplesmente fundamental.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: