Skip to content

Duelo Entre Mundos #3: “Irmãos de Garras… e Presas”

14/08/2012
tags:
by

Saudações, caros visitantes!

Dando continuidade aos Duelos entre os clássicos e os obscuros do RPG, desta vez convoco dois títulos bem conhecidos da gigante White Wolf.O Duelo de hoje se dará entre os “irmãos” Lobisomem: o Apocalipse e Lobisomem: os Destituídos.

Primeiro Round – Contexto

Antes de começar o Duelo proriamente dito, é interessante perceber como uma idéia “batida” pode ser adaptada em contextos tão distintos.

Eis o exemplo do Apocalipse, já descrito por mim em outra ocasião (que você poderá ver aqui), e pretendo apenas reforçar a descrição magistral da cultura Garou – seus, costumes, crenças e a intriga entre as Tribos. Isto adiciona elementos muito interessantes a clima épico e violento do jogo (como os intrincados jogos de política entre as Matilhas e suas Seitas, por exemplo).

Image

Já com os Destituídos, a epopéia contra a destruição dá lugar ao “horror pessoal”. Os jogadores farão parte dos Uratha (“Destituídos”, em sua língua), enfrentando a penitência por seus antepassados: a ruína de Pangéia, o equilíbrio pleno entre os mundos espiritual e físico. O caos começou pela morte de Pai Lobo (o primeiro dentre os lupinos), e suas mãos permanecem sujas com o seu sangue. Agora, para garantir a paz em seus territórios, precisarão enfrentar a fúria dos irmãos que se opuseram ao crime, e às Hostes invasoras do mundo espiritual.

Image

Segundo Round: Sistema

Como “filhos da mesma mãe”, ambos os livros compartilham o clássico Storyteller, ainda que em versões bem distintas. O Apocalipse se adequada ao sistema antigo e maçante, por utilizar tantos dados (em combates, o ruído na mesa se assemelha a uma britadeira!) e se apegar tanto a regras – nada que os Narradores mais acostumados não possam contornar.

N’Os Destituídos, o Sistema ficou muito mais claro e fluido na resolução de ações (o turno de combate se resume a uma rolagem de dados – uma vitória se comparado à versão anterior), e a mecânica de jogo favorece a natureza bestial e frenética dos Uratha, como o limite de tempo na forma híbrida, por exemplo. Só acho que as regras novas para Renome tiram um pouco do desafio (já que adquirir novos poderes pode ser feito desde o princípio).

Fim do Embate

Agora que os “duelistas” foram postos à prova, convoco a opinião de vocês, ilustres visitantes. Contribuam com suas opiniões, até que um vencedor se revele!

Image

Enquanto isso, aguardo ansiosamente pela tradução do Guia de Conversão do Apocalipse para o “novo” Mundo das Trevas… x.x

Que Luna os ilumine, e até a próxima!

Anúncios
One Comment leave one →
  1. 10/07/2014 23:28

    Meu caro, excelente post. Eu sou muito fã do antigo WoD, e Filho de Gaia até o último suspiro! Eu acho que algumas coisas do antigo WoD podem ser maçantes sim, mas o Mestre contornando, fica muito bom. Eu li um pouco sobre o novo Lobisomem e confesso que achei fraco – tanto em história quanto no fato de ficar pouco tempo na forma híbrida. Para mim enfraqueceu uma criatura poderosa e com uma dificuldade tremenda em conter e controlar esse poder. A trama me pareceu fraca em comparação com as antigas histórias dos Garou, muito ricas em simbologia. Para mim, simplificou demais algo que era excelente. Mas deve ter seus méritos e confesso que dia desses ainda quero jogar.
    Abraços,

    Henrique, Folha-da-Esperança, Filho de Gaia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: