Skip to content

Dando Nome aos Bois (e aos Personagens Também…)

03/07/2012
tags:
by

Como Narrador, sempre dedico a primeira sessão de jogo para a construção das personagens, por considerar um dos momentos mais estimulantes da Narrativa – pois busco estimular a criatividade dos jogadores a partir de questionamentos e definições amplas da Narrativa, e analiso as capacidades de cada personagem para direcionar a estória (mas isso é assunto para outro artigo…)

Em praticamente todos esses encontros, percebi que a criação se dá sempre a partir das características, para o background. E, apenas ao final deste, o nome torna-se relevante.

Image

Sinto-me contrariado com essa situação, por sempre realizar o caminho inverso: parto sempre do nome para, só então, definir suas habilidades e papel na história. Faço deste jeito por acreditar que o nome não é apenas algo necessário, ou um capricho: seu valor é muito maior, em qualquer tipo de estória.

O Peso de Um Nome

“Um nome sempre está revestido de poder. A escolha de um nome, seja para um ser vivo ou inanimado, é um fator decisivo para se saber qual o poder que a entidade nomeada terá” (Yuko Ichihara, XXXHolic).

A citação acima resume muito bem onde quero chegar. Se conhecemos algum objeto, é justamente pelo seu nome; se digito o termo “cadeira”, por exemplo, você a visualiza em sua mente, reconhece o seu significado.

O mesmo vale para as personagens. Seu nome influi na sua descrição, de várias maneiras. Pode definir sua origem, como uma família humilde ou uma linhagem nobre e bem relacionada; traços de sua personalidade; uma responsabilidade, ou o destino da personagem; e, até mesmo, uma previsão de sua conduta. Qual exemplo poderia ser melhor que Aragorn, filho de Arathorn, para ilustrar o valor de um nome – este que o identifica como o Rei, apesar de sua vida como proscrito?

Image

Da mesma forma, uma Alcunha eleva o grau de riqueza da personagem. Quando digo “Alcunha”, me refiro a qualquer complemento possível, e seu peso comparável ao de um nome. Sua influência é igualmente ampla: um apelido pode demonstrar um traço particular (seja físico, psicológico ou fruto de algum feito memorável); uma identidade alternativa; uma senda e/ou motivação maior; ou o que mais o jogador pretende enfatizar na personagem.

Image

Um exemplo recente e bem óbvio para alcunhas está em One Piece: por onde passou, Luffy e seu bando (já conhecido como o Bando do Chapéu de Palha) se deparou com piratas com os nomes mais variados, como Morgan Mão de Machado, Zodd Perna Vermelha, Alvida Clava de Ferro, Buggy o Palhaço e tantos outros. Isso que nem me referi ao “maldito D.”, uma história tão longa quanto o próprio anime…

Construindo uma Identidade

Escolher um nome não é uma tarefa fácil, não importa se é o princípio ou o fim da criação da personagem, mas pretendo deixar algumas dicas para facilitar o processo. Em primeiro lugar, é buscar algum referencial dentro do jogo: livros como Dungeons and Dragons e Lobisomem dão excelentes dicas sobre nomes, por exemplo, e isso auxilia muito na inserção de jogadores principiantes a entrar no clima de jogo.

A segunda dica é um conceito inicial da personagem, antes de começar a construí-la. Se pertencer a uma família nobre, um nome de impacto pode assegurar o seu status em jogo, por exemplo. A busca em arquivos de história é um bom começo, repleto por nomes e títulos de nobreza.

Na função de Narrador, busque estimular a criação de nomes distintos e originais, sem deixar que o mesmo seja usado muitas vezes. Conheci um jogador que, não importava qual fosse o cenário, nomeava suas personagens apenas como “Roger” – sem qualquer traço de individualidade.

Por fim, se o jogador estiver com dificuldades para definir um bom nome, o auxilie com um “empurrãozinho”. Por exemplo, um jogador em Shadowrun nomeou seu runner como Jose Cuervos (um nome nada original). Para encerrar a zoação da turma, o coloquei em uma cena de tiroteio – e, graças à quantidade anormal de armas que levava consigo, acabou conhecido como “El Arsenal”. Isso o empolgou tanto que acabou deixando seu nome de lado para adotar esse novo apelido!

Image

Enfim, não importa como você vai escolher o seu nome; basta ter em mente que um grande nome traz consigo uma grande responsabilidade (assim como grandes poderes, é claro).

Que Luna os ilumine, e até a próxima!

Anúncios
One Comment leave one →
  1. 11/07/2012 20:17

    Conversei da importância dos nomes esses dias com um amigo meu.
    Eu nunca (ou quase) julgo um livro pela capa, mas sempre julgo pelo nome!

    O nome deve transmitir a essência do objeto, e na minha opinião é uma das partes mais legais de se criar personagens!

    O que você disse sobre as alcunhas é algo bem interessante também.
    Ingrar, sem-ossos é bem diferente de Ingrar, o benevolente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: