Skip to content

Dicas para o mestre cansado!

12/08/2010

E ai mestre? Já mestra faz tempo? Está de saco cheio de mestrar? Não se empolga mais?

Anda triste, cabisbaixo, sem vontade de cantar uma canção?

Aqui vão algumas dicas que eu reuni para o mestre “véio de guerra” que quer tomar um novo fôlego (mestre também podem usar second wind!) ou que anda desmotivado.

1. Influências (ou: cópia descarada, decalque, mania do “eu faria”melhor)

“Roube” as idéias de filmes, séries e livros. Alguns filmes têm roteiros sofríveis e resoluções piores ainda. No entanto,

Cansado você estar. Muitas aventuras mestrar!

algumas dessas idéias podem ter dar alguma idéia ou elemento para usar em suas aventuras.

Geralmente nós dizemos: Eu teria feito melhor. Sendo assim, FAÇA! Tente achar soluções ou propor que os jogadores o façam!

Você pode utilizar as descrições de lugares em livros (de forma resumida, por favor) e também pode utilizar as imagens dos filmes para descrever um local de forma interessante.

2. Espelhos e Fumaça! (Nada nesta mão, nada nesta outra…)

Se você tornar a descrição ou as atitudes de alguns NPCS interessante o suficiente, os jogadores não ligaram para algumas pequenas incongruências e detalhes ilógicos sobre eles. Isso serve como os truques dos ilusionistas: Você desvia a atenção dos jogadores para o lado que você quer.

Isso também funciona para tramas da campanha e de algumas aventuras: Se a aventura for divertida, os jogadores irão desconsiderar alguns detalhes que podem desafiar um pouco a lógica. A dica é não forçar a barra: se algo desafia demais a lógica dos jogadores, nada que você tente colocar para desviar a atenção deles vai funcionar! Afinal, ninguém nunca ligou para o roteiro de Emmanuelle (se é que você me entende…)

3. Troque de sistema, cenário, gênero e estilo. (Não tenha medo do novo! Role um teste de Vontade!)

De tempos em tempos, tente aprender novos sistemas e cenários. Isso fará de você um narrador com mais recursos, pois alguns elementos interessantes pode ser transpotados de um sistema a outro. Por exemplo, se em Vampiro os jogadores procuram resolver os conflitos na conversa, que tal tentar isso em D&D, e vice-versa?

Mesmo em campanhas de fantasia medieval, você pode inserir aventuras de mistério, investigação ou horror.

Só feijão com arroz e ovo todo dia, ninguém aguenta!

4. Jogue ou narre para outros grupos . (Truques velhos reciclados!)

Narrar para pessoas que você não conhece permite que você use os velhos truques que você usa com seu grupo de jogo usual. Além disso, você pode aprender alguma coisa ou duas que você pode trazer para o seu grupo.

5. Simplifique. (não é dica de moda, meu amor…)

Procure levar menos acessórios, menos livros de regras, enfim, menos tudo para sessão de jogo. Assim você se força a tentar lembrar mais detalhes, improvisar e não deixar a aventura tão complexa. Isso te faz perceber o que funciona ou não e lembrar do básico: A diversão do grupo e os ação direta!

6. Estude os livros de regras ou cenário. (É, acho que você nuuuunca fez isso, né? mestres quase nunca fazem isso!)

Se tiver algum tempo livre, abra em algum capítulo do livro e procure detalhes que você expandir e explorar para fazer uma aventura interessante ou para criar plots inesperados em sua campanha. Um NPC apenas mencionado em algum livro pode se tornar um NPC recorrente na campanhas dos personagens.

"Mestre, se você está na minha mochila? Onde estão os LIVROS?"

7. Ajude um jogador a se tornar mestre. (Além de mestre, sinta se um mestre Jedi ajudando um jovem padawan!)

Ajudar um jogador a se tornar um mestre te ajuda a analizar as suas próprias fraquezas, qualidades e manias. Ensinando algumas “técnicas” que você usa pode fazer com que o mestre-padawan tenha um ponto de partida para suas próprias aventuras e lhe proporcione a oportunidade de participar como jogador. Isso lhe dá uma nova perspectiva. É muito interessante quando você vê alguém fazendo erros que você mesmo cometia no começo e tem a oportunidade de ajudar. Isso te fará não só um mestre melhor, mas uma pessoa melhor também! Que a força esteja com você (e paciência ter você deve!)

Keep Rolling.

E ai mestre? Já mestra faz tempo? Está de saco cheio de mestrar? Não se empolga mais?

Anda triste, cabisbaixo, sem vontade de cantar uma canção?

Aqui vão algumas dicas que eu reuni para o mestre “véio de guerra” que quer tomar um novo fôlego (mestre também podem usar second wind!) ou que anda desmotivado.

1. Influências (ou: cópia descarada, decalque, mania do “eu faria”melhor)

“Roube” as idéias de filmes, séris e livros. Alguns filmes têm roteiros sofríveis e resoluções piores ainda. No entanto, algumas dessas idéias podem ter dar alguma idéia ou elemento para usar em suas aventuras.

Geralmente nós dizemos: Eu teria feito melhor. Sendo assim, FAÇA! Tente achar soluções ou propor que os jogadores o façam!

Você pode utilizar as descrições de lugares em livros (de forma resumida, por favor) e também pode utilizar as imagens dos filmes para descrever um local de forma interessante.

2. Espelhos e Fumaça! (Nada nesta mão, nada nesta outra…)

Se você tornar a descrição ou as atitudes de alguns NPCS interessante o suficiente, os jogadores não ligaram para algumas pequenas incongruências e detalhes ilógicos sobre eles. Isso serve como os truques dos ilusionistas: Você desvia a atenção dos jogadores para o lado que você quer.

Isso também funciona para tramas da campanha e de algumas aventuras: Se a aventura for divertida, os jogadores irão desconsiderar alguns detalhes que podem desafiar um pouco a lógica. A dica é não forçar a barra: se algo desafia demais a lógica dos jogadores, nada que você tente colocar para desviar a atenção deles vai funcionar! Afinal, ninguém nunca ligou para o roteiro de Emmanuelle (se é que você me entende…)

3. Troque de sistema, cenário, gênero e estilo. (Não tenha medo do novo! Role um teste de Vontade!)

De tempos em tempos, tente aprender novos sistemas e cenários. Isso fará de você um narrador com mais recursos, pois alguns elementos interessantes pode ser transpotados de um sistema a outro. Por exemplo, se em Vampiro os jogadores procuram resolver os conflitos na conversa, que tal tentar isso em D&D, e vice-versa?

Mesmo em campanhas de fantasia medieval, você pode inserir aventuras de mistério, investigação ou horror.

Só feijão com arroz e ovo todo dia, ninguém aguenta!

4. Jogue ou narre para outros grupos . (Assim

Narrar para pessoas que você não conhece permite que você use os velhos truques que você usa com seu grupo de jogo usual. Além disso, você pode aprender alguma coisa ou duas que você pode trazer para o seu grupo.

5. Simplifique. (não é dica de moda, meu amor…)

Procure levar menos acessórios, menos livros de regras, enfim, menos tudo para sessão de jogo. Assim você se força a tentar lembrar mais detalhes, improvisar e não deixar a aventura tão complexa. Isso te faz perceber o que funciona ou não e lembrar do básico: A diversão do grupo e os ação direta!

6. Estude os livros de regras ou cenário. (É, acho que você nuuuunca fez isso, né? mestres quase nunca fazem isso!)

Se tiver algum tempo livre, abra em algum capítulo do livro e procure detalhes que você expandir e explorar para fazer uma aventura interessante ou para criar plots inesperados em sua campanha. Um NPC apenas mencionado em algum livro pode se tornar um NPC recorrente na campanhas dos personagens.

7. Ajude um jogador a se tornar mestre. (Além de mestre, sinta se um mestre Jedi ajudando um jovem padawan!)

Ajudar um jogador a se tornar um mestre te ajuda a analizar as suas próprias fraquezas, qualidades e manias. Ensinando algumas “técnicas” que você usa pode fazer com que o mestre-padawan tenha um ponto de partida para suas próprias aventuras e lhe proporcione a oportunidade de participar como jogador. Isso lhe dá uma nova perspectiva. É muito interessante quando você vê alguém fazendo erros que você mesmo cometia no começo e tem a oportunidade de ajudar. Isso te fará não só um mestre melhor, mas uma pessoa melhor também! Que a força esteja com você (e paciência ter você deve!)

Keep Rolling.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. Chico "Aramís" Napolitano permalink*
    13/08/2010 20:56

    Muito bom esse post.
    Parabéns Shiro!

    A imagem do Yoda como pokémon tá ótima também! hahahah

  2. Guilherme "Sir Ligra"Seligra Lopes permalink
    15/11/2010 01:42

    Araca velho muito bom, já ouvi parte das teorias antes, mas realmene, se quer se tornar um “mestre” mestre, vc tem que seguir as dicas desse conselheiro jedi que escreveu esse post aheuaheuhe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: